Kefalonia, Porto

kefalonia

Alegadamente uma foto advinda do site da Easyjet. Não consegui confirmar, mas fazendo fé… Mais do que revelar a ignorância dos easyjetters, considero a imagem reveladora do espírito que gere os fluxos do neo-turismo: escapadelas aleatórias, destinos intermutáveis, branding genérico, exotismo a metro e culturas locais domesticadas, reconfiguradas em entretenimento eufórico, inócuo e inconsequente. O Porto foi “melhor destino da Fugas” ou coisa que o valha (é marketing puro, meus caros): quando a sua novidade de autenticidade (ou seja, destino barato e com um charme algo perdido no tempo) se desgastar, os turistas rumarão a Kefalonia, novo “melhordestino”, e lá irão depositar os seus euros seguintes. A julgar pela Easyjet, já nem falta muito.

Update: a Easyjet assumiu a gaffe e alega: “We just got carried away with the excitement of visiting either of these countries”. É justo, é um sinal dos tempos e não exclusivo da empresa: “either of these countries” fá-los intermutáveis numa lógica experiencial de samplagem de superfície.

Ligo este episódio ao acento equivocado no logotipo das novas Galerias Lumière, no Porto. “Lumiére”, apesar de rebentar com o vocábulo francês, é localmente mais prático. Bora ao LumiÉre comer uns tapas gourmet very typical e a ver no iPad qual o destino low-cost do próximo fim de semana.

lumiere

Advertisements